O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, assinou no dia 1º o termo de cooperação do Plano Inova Energia, que vai investir R$ 3 bilhões no desenvolvimento da área energética no país.

Para o projeto, o BNDES disponibilizará um orçamento de R$ 1,2 bilhão, que formará o fundo de financiamento com mais R$ 1,2 bilhão da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e R$ 600 milhões da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

O BC informou que a medida tem o objetivo de "facilitar o comércio bilateral entre os dois países"

O Banco Central informou na última terça-feira (26/3) que fechou acordo de troca de moedas locais (reais e iuanes) com o BC da China, com operações que não poderão ultrapassar o montante de R$ 60 bilhões (cerca de US$ 30 bilhões), com operações por até 3 anos. O montante pode ser prorrogado de acordo com a vontade das partes.

Encontro na CNI reúne representantes de grandes empresas brasileiras e europeias para discutirem parcerias

Ao longo da tarde de hoje, 23 de janeiro, ocorre o 6º Encontro Empresarial Brasil – EU, nas dependências da Confederação Nacional da Indústria, em Brasília. Organizado em paralelo às Cúpulas Políticas anuais realizadas entre Brasil e União Europeia, este encontro é de grande importância para criar um diálogo dinâmico entre empresários e chefes de estado brasileiros e europeus.

A desaceleração da economia chinesa começou a afetar mais fortemente as exportações brasileiras nos dois últimos meses. As exportações de minério de ferro e de petróleo, que estão entre os três principais itens vendidos pelo Brasil ao país asiático, já apresentam queda no acumulado de janeiro a setembro não só em valores, mas também em volume.

Serão investidos R$133 bilhões em vinte e cinco anos. R$79,5 bilhões serão aplicados nos primeiros cinco anos.

O governo lançou nesta quarta-feira, 15, o Programa de Concessões de Rodovias e Ferroviais. A primeira parte do Programa consiste no investimento de 133 bilhões de reais em infraestrutura e logística nas rodovias e ferrovias brasileiras. Ele prevê prazo de vinte e cinco anos para a aplicação de todo o pacote, sendo 79,5 bilhões de reais investidos nos cinco primeiros anos. As ferrovias receberão a maior parte das aplicações, 91 bilhões de reais, e as rodovias ficarão com 42 bilhões.