Fator não-mercadológico ainda pouco estudado nas teorias de internacionalização de empresas, a atividade de relações governamentais é de grande relevância para a atuação das multinacionais. Legislação, política industrial, licenças, tarifas, contenciosos, financiamentos subsidiados e preços controlados são alguns exemplos dentre muitos de temas correntes no cotidiano de multinacionais que exigem ação estratégica da área de relações governamentais.

O cenário político conturbado de 2016 e a ilegalidade no relacionamento entre empresários e o poder público, reveladas por operações como a LavaJato e a Zelotes, jogaram luz sobre as relações governamentais, uma área até então tratada com timidez pelos escritórios de advocacia. O setor foi estimulado recentemente pela necessidade de sistematizar uma forma segura, legal e eficiente de as empresas lidarem com os detentores do poder.

A primeira tensão política entre o presidente eleito americano Donald Trump e o presidente chinês Xi Jinping aconteceu antes mesmo de Trump assumir o cargo, no dia 20 de janeiro de 2017. Em resposta ao descaso que o novo presidente tem demonstrado com o aquecimento global, Xi reafirmou, na semana passada em conferência das Nações Unidas no Marrocos, o compromisso chinês em combater o fenômeno em “quaisquer circunstâncias".

China Policy, uma das mais renomadas consultorias especializadas em políticas públicas da China, passa a atender o mercado brasileiro através da Vallya

A partir do mês de junho, a Vallya dará início à publicação de análises mensais desenvolvidas na China pela equipe do China Policy e adaptadas ao mercado brasileiro pela equipe Vallya.