Organizado pelo Instituto de Relações Internacionais da UnB, o evento contou com a participação de embaixadores da Associação dos Países do Sudeste Asiático para apresentar e discutir oportunidades e desafios presentes da relação bilateral entre seus países e o Brasil. São membros da ASEAN Tailândia, Filipinas, Malásia, Cingapura, Indonésia, Brunei, Vietnã, Camboja, Laos e Myanmar.

A equipe Vallya marcou presença no evento para conferir em primeira mão o debate dos representantes do ASEAN. Com o auditório lotado de alunos, professores e membros da comunidade internacional, o Embaixador do MRE apontou para a forte consolidação da ASEAN como um grande bloco econômico. Para ele, não há um grande tema internacional que não seja debatido pela Associação, e isso configura um aspecto positivo fundamental para que o Bloco realize parcerias.

Mauro de Holanda ressaltou ainda a importância desses países para a economia brasileira. “O comércio bilateral entre Brasil e Tailândia, por exemplo, já é maior que nosso comércio com vizinhos como o Peru”, avaliou.

Para o embaixador da Malásia, desde sua fundação em 1967, a ASEAN tem alcançado consideráveis êxitos nos setores político, econômico, e na cooperação regional. O Bloco vem promovendo estabilidade, paz e prosperidade para o sudeste asiático.

Ao analisar o futuro da ASEAN e do mundo, Pitchayaphant Charnbhumidol, embaixador da Tailândia no Brasil, observou que os países membros do Bloco vêm se esforçando para desenvolver a integração regional dos participantes. Ele estima que até o final de 2015 seja estabelecida a “Comunidade Econômica da ASEAN”. O plano prevê a criação de uma área de livre comércio e de produção industrial que visa não somente a livre circulação de mercadorias, mas também a atração de investimentos.

Charnbhumidol afirmou ainda que os líderes do sudeste asiático pretendem unificar as normas dos países-membros para facilitar a participação estrangeira. Dessa forma, o Bloco fornecerá condições para que empresas multinacionais possam investir em qualquer país da Associação sob as mesmas regras e condições, e não sob uma regulamentação para cada nação.

O interesse mundial pela região se dá pelo fato de que o Bloco, integrado, conta com uma população somada em mais de 600 milhões de habitantes, um PIB de mais de 1,8 trilhões de dólares. Os países da ASEAN detêm um vasto mercado a ser explorado em diversas áreas, como telefonia e infraestrutura.

Texto e foto por: Luísa Leite
Equipe de Redação Vallya


BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS